fbpx

Será que a fé pode ajudar quem tem problemas de saúde? Em São Paulo, um médico trata os pacientes com técnicas de meditação oriental e atrai gente de todas as religiões. A meditação é budista, mas quem comanda o ritual não é monge. O doutor Norvan Matino Leite teve a formação convencional de um médico e foi incorporando outras técnicas no tratamento de tanta gente que chega ao consultório com estresse, ansiedade e, às vezes, doenças mais graves. “Muitas vezes não temos como resolver a doença em si, mas nós conseguimos fazer essa pessoa conviver com a doença. Para viver muito melhor”.

Católica praticante, a aposentada Maria Lúcia Vieira começou a meditar para enfrentar uma depressão. Mas descobriu que sofria também de mal de Parkinson – doença que provoca tremores e dificulta os movimentos. “Eu consegui dominar a situação com a meditação, com a oração, mais a medicina. Porque apesar de estar muito bem, o meu médico não parou com o medicamento”.

“Tanto, a meditação, quanto o encontro de alguma atividade que lhe dê prazer, o otimismo, a esperança perante o futuro, tudo isso influi de maneira muito importante nos sintomas da doença”, continua o doutor.

Remédios e meditação. A fórmula permite que Maria Lúcia chegue aos 81 anos com o corpo ereto e a mente tranqüila.

setembro 1, 2001
SPTV

Meditação

Será que a fé pode ajudar quem tem problemas de saúde? Em São Paulo, um médico trata os pacientes com técnicas de meditação oriental e atrai […]
setembro 1, 2001
galileu

Linha Direta com Deus: Cérebro em alfa

José Tadeu Arantes – Galileu – Edição 93 O médico Norvan Martino Leite, chefe do serviço de acupuntura do Hospital do Servidor Público Municipal de São […]

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Será que a fé pode ajudar quem tem problemas de saúde? Em São Paulo, um médico trata os pacientes com técnicas de meditação oriental e atrai gente de todas as religiões. A meditação é budista, mas quem comanda o ritual não é monge. O doutor Norvan Matino Leite teve a formação convencional de um médico e foi incorporando outras técnicas no tratamento de tanta gente que chega ao consultório com estresse, ansiedade e, às vezes, doenças mais graves. “Muitas vezes não temos como resolver a doença em si, mas nós conseguimos fazer essa pessoa conviver com a doença. Para viver muito melhor”.

Católica praticante, a aposentada Maria Lúcia Vieira começou a meditar para enfrentar uma depressão. Mas descobriu que sofria também de mal de Parkinson – doença que provoca tremores e dificulta os movimentos. “Eu consegui dominar a situação com a meditação, com a oração, mais a medicina. Porque apesar de estar muito bem, o meu médico não parou com o medicamento”.

“Tanto, a meditação, quanto o encontro de alguma atividade que lhe dê prazer, o otimismo, a esperança perante o futuro, tudo isso influi de maneira muito importante nos sintomas da doença”, continua o doutor.

Remédios e meditação. A fórmula permite que Maria Lúcia chegue aos 81 anos com o corpo ereto e a mente tranqüila.