Os Mestres Zen dão orientação pessoal em uma sala afastada. Ninguém entra enquanto o instrutor e o aluno estão juntos.
O Mestre Zen gostava de falar com comerciantes e jornaleiros assim como com seus alunos. Um certo fabricante de banheiras era quase analfabeto. Ele fazia perguntas tolas, tomava chá e depois ia embora.
Um dia, enquanto o fabricante de banheiras estava lá, o Mestre quis dar orientação pessoal a um discípulo, e por isso pediu ao fabricante de banheiras para esperar em outra sala.

“Eu entendo que você é um Buda Vivo” o homem reclamou. “Nem mesmo os Budas de pedra no templo jamais rejeitam as numerosas pessoas que se reúnem diante deles. Porque então eu deveria ser excluído?”

março 26, 2015

O Buda Vivo e o Fabricante de Banheiras

Os Mestres Zen dão orientação pessoal em uma sala afastada. Ninguém entra enquanto o instrutor e o aluno estão juntos. O Mestre Zen gostava de falar […]
março 19, 2015

O Livro

O Mestre Zen teve somente um Discípulo. Após o Discípulo ter concluído seu estudo do Zen, o Mestre chamou-o a seu quarto. “Estou ficando velho”, ele […]
março 12, 2015

Sem Água, Sem Lua

Quando a monja estudou sob a orientação do Mestre, ela não conseguiu alcançar os frutos da meditação por um longo tempo. Finalmente, numa noite enluarada, ela […]
março 5, 2015

Meu Coração Arde como o Fogo

Um Mestre, o primeiro instrutor Zen a vir para os Estado Unidos, disse: “Meu coração arde como o Fogo, mas meus olhos são tão frios como […]

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Os Mestres Zen dão orientação pessoal em uma sala afastada. Ninguém entra enquanto o instrutor e o aluno estão juntos.
O Mestre Zen gostava de falar com comerciantes e jornaleiros assim como com seus alunos. Um certo fabricante de banheiras era quase analfabeto. Ele fazia perguntas tolas, tomava chá e depois ia embora.
Um dia, enquanto o fabricante de banheiras estava lá, o Mestre quis dar orientação pessoal a um discípulo, e por isso pediu ao fabricante de banheiras para esperar em outra sala.

“Eu entendo que você é um Buda Vivo” o homem reclamou. “Nem mesmo os Budas de pedra no templo jamais rejeitam as numerosas pessoas que se reúnem diante deles. Porque então eu deveria ser excluído?”