Como Meditar

como-meditar

Conheça o passo-a-passo para quem vai iniciar a prática da meditação.

  • Escolha roupas confortáveis;
  • Escolha um local onde você esteja bem acomodado;
  • Retire os sapatos (abandone os pré-conceitos dos caminhos onde andou);
  • Faça uma reverência no local que vai meditar (a reverência é a si mesmo por se dar uma oportunidade de evoluir);
  • Você pode sentar em uma cadeira ou em uma almofada de meditação;
  • Mantenha a coluna ereta, através do encaixe do quadril;
  • As pernas estarão em postura de lótus, meio-lótus, paralela ou mesmo cruzadas, é importante que seja uma posição confortável, pois você irá permanecer nesta posição até o final da meditação. Evite trocar de posição, mesmo que durante a meditação você sinta dor e desconforto;
  • Mantenha os ombros relaxados;
  • Queixo com uma leve inclinação – imagine que você tem um fio no centro de sua cabeça, mantendo-a ereta, incline o queixo de tal forma que ele estará paralelo ao corpo;
  • Língua no céu da boca, atrás dos incisivos, lábios e dentes naturalmente se tocam com um leve sorriso;
  • Mãos ficam em “Mudra” (forma)- mão direita sobre a mão esquerda, com as pontas dos polegares tocando-se suavemente e repouse as mãos a 4 dedos abaixo do umbigo;
  • Ao sentar mantenha os olhos semiabertos isto é, postados a 45 graus, sem fixar um ponto específico e evitando fechá-los para evitar adormecer(dispersões internas) e também não deixá-los abertos para evitar as dispersões externas;
  • Assim acomodado, respire suavemente pelo nariz. Esta respiração é abdominal: inspirando distende o abdome, expirando murxa o abdome. Inicialmente utilizaremos da contagem das expirações de 1 a 10 e recomeçando novamente a contagem para evitarmos as automatizações e assim as dispersões (nossos macaquinhos internos que nos levam para todos os locais).


Na meditação sentada em cadeiras:

  • Coluna ereta, quadril encaixado;
  • Pés bem postados no chão;
  • Forma-se um ângulo de 90 graus dos pés com as pernas, das pernas com as coxas e destas com a coluna;
  • Ombros relaxados;
  • Mãos em forma de mudra universal (descrito acima);
  • Queixo com leve inclinação;
  • Língua no céu da boca;
  • Olhos entreabertos postados a 45 graus, fora de foco;
  • Concentrando na contagem das expirações;
  • Respiração abdominal (descrita acima).


O importante é a permanência nesta posição até o final da meditação. Deixe que os pensamentos passem como nuvens no céu, não se prendendo a nenhum deles e não brigando com os mesmos (concentrados na respiração).
Orienta-se que comecemos com apenas 5 minutos – o importante é a disciplina e o compromisso firmado consigo mesmo para quem realiza a meditação diariamente.

Tenha sempre um timer ou um despertador que marque o tempo, de preferência longe dos olhos, para que não fiquemos propensos a olhá-lo à todo momento.
Gradativamente você poderá aumentar este tempo até chegar a duas meditações por dia: de manhã e à noite no mínimo 20 minutos
Mantenha uma toalha sob os joelhos se estiver em ambiente fechado, na praia ou no campo é importante que se tenha outra toalha para a região dos ombros e pescoço.


Atenção:

Se estiver muito cansado: Descanse.
Se estiver com muito sono: Durma.
Se estiver com fome: Coma.
Alimente-se de comida leve, mas não em jejum prolongado.
Evite tudo que possa incomodá-lo.

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Conheça o passo-a-passo para quem vai iniciar a prática da meditação.

  • Escolha roupas confortáveis;
  • Escolha um local onde você esteja bem acomodado;
  • Retire os sapatos (abandone os pré-conceitos dos caminhos onde andou);
  • Faça uma reverência no local que vai meditar (a reverência é a si mesmo por se dar uma oportunidade de evoluir);
  • Você pode sentar em uma cadeira ou em uma almofada de meditação;
  • Mantenha a coluna ereta, através do encaixe do quadril;
  • As pernas estarão em postura de lótus, meio-lótus, paralela ou mesmo cruzadas, é importante que seja uma posição confortável, pois você irá permanecer nesta posição até o final da meditação. Evite trocar de posição, mesmo que durante a meditação você sinta dor e desconforto;
  • Mantenha os ombros relaxados;
  • Queixo com uma leve inclinação – imagine que você tem um fio no centro de sua cabeça, mantendo-a ereta, incline o queixo de tal forma que ele estará paralelo ao corpo;
  • Língua no céu da boca, atrás dos incisivos, lábios e dentes naturalmente se tocam com um leve sorriso;
  • Mãos ficam em “Mudra” (forma)- mão direita sobre a mão esquerda, com as pontas dos polegares tocando-se suavemente e repouse as mãos a 4 dedos abaixo do umbigo;
  • Ao sentar mantenha os olhos semiabertos isto é, postados a 45 graus, sem fixar um ponto específico e evitando fechá-los para evitar adormecer(dispersões internas) e também não deixá-los abertos para evitar as dispersões externas;
  • Assim acomodado, respire suavemente pelo nariz. Esta respiração é abdominal: inspirando distende o abdome, expirando murxa o abdome. Inicialmente utilizaremos da contagem das expirações de 1 a 10 e recomeçando novamente a contagem para evitarmos as automatizações e assim as dispersões (nossos macaquinhos internos que nos levam para todos os locais).


Na meditação sentada em cadeiras:

  • Coluna ereta, quadril encaixado;
  • Pés bem postados no chão;
  • Forma-se um ângulo de 90 graus dos pés com as pernas, das pernas com as coxas e destas com a coluna;
  • Ombros relaxados;
  • Mãos em forma de mudra universal (descrito acima);
  • Queixo com leve inclinação;
  • Língua no céu da boca;
  • Olhos entreabertos postados a 45 graus, fora de foco;
  • Concentrando na contagem das expirações;
  • Respiração abdominal (descrita acima).


O importante é a permanência nesta posição até o final da meditação. Deixe que os pensamentos passem como nuvens no céu, não se prendendo a nenhum deles e não brigando com os mesmos (concentrados na respiração).
Orienta-se que comecemos com apenas 5 minutos – o importante é a disciplina e o compromisso firmado consigo mesmo para quem realiza a meditação diariamente.

Tenha sempre um timer ou um despertador que marque o tempo, de preferência longe dos olhos, para que não fiquemos propensos a olhá-lo à todo momento.
Gradativamente você poderá aumentar este tempo até chegar a duas meditações por dia: de manhã e à noite no mínimo 20 minutos
Mantenha uma toalha sob os joelhos se estiver em ambiente fechado, na praia ou no campo é importante que se tenha outra toalha para a região dos ombros e pescoço.


Atenção:

Se estiver muito cansado: Descanse.
Se estiver com muito sono: Durma.
Se estiver com fome: Coma.
Alimente-se de comida leve, mas não em jejum prolongado.
Evite tudo que possa incomodá-lo.