Diálogo Zen

Os Instrutores Zen treinam os seus jovens alunos a expressarem a si mesmos. Dois templos Zen tinham, cada um deles, uma criança mantida por eles. Uma das crianças, indo buscar legumes a cada manhã, encontrava a outra no caminho.
“Onde você está indo?, perguntou uma delas.
“Estou indo para onde vão os meus pés”, respondeu a outra.
Esta resposta intrigou a primeira criança, que foi pedir ajuda ao seu instrutor. “Amanha de manha”, disse-lhe o instrutor, “quando você encontrar aquele pequenino, faça a ele a mesma pergunta”. Ele lhe dará a mesma resposta, e então você lhe perguntará:
“Suponha que você não tenha pés, então para onde você está indo? Isto dará um jeito nele.”
As crianças se encontraram novamente na manha seguinte.
“Onde você está indo?” perguntou a primeira criança.
“Estou indo para onde quer que o vento sopre”, respondeu a outra.
Isto novamente deixou pasmo o jovem, que levou sua derrota ao seu instrutor.
“Pergunte a ele para onde ele está indo se não há vento”, sugeriu o instrutor.
No dia seguinte as crianças se encontraram pela terceira vez.
“Onde você está indo?”

“Estou indo ao mercado comprar legumes”, respondeu a outra.

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Os Instrutores Zen treinam os seus jovens alunos a expressarem a si mesmos. Dois templos Zen tinham, cada um deles, uma criança mantida por eles. Uma das crianças, indo buscar legumes a cada manhã, encontrava a outra no caminho.
“Onde você está indo?, perguntou uma delas.
“Estou indo para onde vão os meus pés”, respondeu a outra.
Esta resposta intrigou a primeira criança, que foi pedir ajuda ao seu instrutor. “Amanha de manha”, disse-lhe o instrutor, “quando você encontrar aquele pequenino, faça a ele a mesma pergunta”. Ele lhe dará a mesma resposta, e então você lhe perguntará:
“Suponha que você não tenha pés, então para onde você está indo? Isto dará um jeito nele.”
As crianças se encontraram novamente na manha seguinte.
“Onde você está indo?” perguntou a primeira criança.
“Estou indo para onde quer que o vento sopre”, respondeu a outra.
Isto novamente deixou pasmo o jovem, que levou sua derrota ao seu instrutor.
“Pergunte a ele para onde ele está indo se não há vento”, sugeriu o instrutor.
No dia seguinte as crianças se encontraram pela terceira vez.
“Onde você está indo?”

“Estou indo ao mercado comprar legumes”, respondeu a outra.