fbpx

O Mestre investiga

Um monge viajante perguntou a uma velha mulher sobre a estrada para Taizan, um templo popular que, acreditava-se, dava sabedoria à pessoa que lá adorava. A velha mulher disse: “Vá sempre em frente.” Quando o monge tinha avançado uns poucos passos, ela disse a si mesma: “Ele também é um freqüentador de igreja como todos os outros.”
Alguém contou este incidente ao Mestre, que disse: “Espere até eu investigar.” No dia seguinte foi até lá e fez a mesma pergunta, e a velha mulher deu a mesma resposta.
O Mestre comentou: “Eu investiguei aquela velha mulher.”

Quando a pergunta é comum
A resposta também é comum.
Quando a pergunta é areia numa tigela de
Arroz fervido
A resposta é uma vara na lama macia.

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Um monge viajante perguntou a uma velha mulher sobre a estrada para Taizan, um templo popular que, acreditava-se, dava sabedoria à pessoa que lá adorava. A velha mulher disse: “Vá sempre em frente.” Quando o monge tinha avançado uns poucos passos, ela disse a si mesma: “Ele também é um freqüentador de igreja como todos os outros.”
Alguém contou este incidente ao Mestre, que disse: “Espere até eu investigar.” No dia seguinte foi até lá e fez a mesma pergunta, e a velha mulher deu a mesma resposta.
O Mestre comentou: “Eu investiguei aquela velha mulher.”

Quando a pergunta é comum
A resposta também é comum.
Quando a pergunta é areia numa tigela de
Arroz fervido
A resposta é uma vara na lama macia.