fbpx

O Zen na Vida de um Mendigo

Um Mestre bem conhecido em sua época havia vivido em vários templos e ensinado em várias províncias.
O último templo que ele visitou acumulou muitos seguidores que subitamente disse que iria abandonar a atividade de palestras completamente. Ele aconselhou-os a se dispersarem e irem para onde quer que quisessem. Depois daquilo ninguém pode encontrar nenhum sinal dele.
Três anos mais tarde um de seus discípulos o descobriu vivendo com alguns mendigos debaixo de uma ponte. Ele imediatamente implorou ao Mestre que lhe ensinasse.
“Se você puder fazer o que eu faço até mesmo por dois dias, eu poderei lhe ensinar”, respondeu o Mestre.
Então o antigo Discípulo vestiu-se como um mendigo e passou um dia com o Mestre. No dia seguinte, um dos mendigos morreu. O Mestre e seu Discípulo levaram o corpo à meia-noite e o enterraram no sopé de uma montanha. Depois disso voltaram para o seu abrigo sob a ponte.
Mestre dormiu profundamente o resto da noite, mas o discípulo não conseguia dormir. Quando chegou a manhã o Mestre disse: “Não precisamos mendigar por comida hoje. Nosso amigo morto deixou um pouco aqui.” Mas o discípulo era incapaz de comer sequer um único pedaço.
“Eu disse que você não poderia fazer o que eu faço”, concluiu o Mestre. ”Vá embora daqui e não me incomode mais.”

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Um Mestre bem conhecido em sua época havia vivido em vários templos e ensinado em várias províncias.
O último templo que ele visitou acumulou muitos seguidores que subitamente disse que iria abandonar a atividade de palestras completamente. Ele aconselhou-os a se dispersarem e irem para onde quer que quisessem. Depois daquilo ninguém pode encontrar nenhum sinal dele.
Três anos mais tarde um de seus discípulos o descobriu vivendo com alguns mendigos debaixo de uma ponte. Ele imediatamente implorou ao Mestre que lhe ensinasse.
“Se você puder fazer o que eu faço até mesmo por dois dias, eu poderei lhe ensinar”, respondeu o Mestre.
Então o antigo Discípulo vestiu-se como um mendigo e passou um dia com o Mestre. No dia seguinte, um dos mendigos morreu. O Mestre e seu Discípulo levaram o corpo à meia-noite e o enterraram no sopé de uma montanha. Depois disso voltaram para o seu abrigo sob a ponte.
Mestre dormiu profundamente o resto da noite, mas o discípulo não conseguia dormir. Quando chegou a manhã o Mestre disse: “Não precisamos mendigar por comida hoje. Nosso amigo morto deixou um pouco aqui.” Mas o discípulo era incapaz de comer sequer um único pedaço.
“Eu disse que você não poderia fazer o que eu faço”, concluiu o Mestre. ”Vá embora daqui e não me incomode mais.”