fbpx

Os Cinco Movimentos

cinco-elementos

A teoria dos cinco movimentos é um conceito do pensamento chinês na tentativa de compreender o mundo.

 

A Madeira, o Fogo, a Terra, o Metal e a Água são vistos como cinco propriedades inerentes a todas as coisas. Esses movimentos – da mesma forma que o Yin/Yang – devem ser compreendidos como processos ou tendências e não como qualidades ou defeitos.

Os movimentos fornecem determinadas correspondências, que estão relacionadas principalmente aos processos de mudança. Por exemplo, o movimento Madeira associa-se a funções de crescimento ou desenvolvimento.

O Fogo representa as funções que atingiram o seu estado máximo.

O Metal simboliza as funções que estão purificadas.

A Água representa aquelas funções que realmente atingiram sua maior purificação (essência) e que estão prontas a mudar em direção ao crescimento.

A Terra designa o equilíbrio ou a neutralidade.

Com o tempo essas cinco categorias genéricas foram utilizadas para classificar todos os fenômenos de cores, sons, odores, paladares, emoções, etc, ou seja, para todas as coisas presentes no Universo.

As correspondências foram, também, estabelecidas com os órgãos do corpo humano, fazendo-se a conexão dos Cinco Movimentos com a Medicina.

As representações são: Rim – Água; Fígado – Madeira; Coração – Fogo; Baço-pâncreas – Terra; Pulmão – Metal.
Essas energias estão relacionadas por dois princípios: o princípio de geração – a água nutre a madeira, que alimenta o fogo, que gera a cinza (Terra), que forma o metal – e o princípio de dominância – a água apaga o fogo, que derrete o metal, que corta a madeira, que suga a terra, que seca a água.

O equilíbrio na relação entre estes dois princípios resulta na saúde do indivíduo. O desequilíbrio resulta no processo de adoecimento capaz de gerar uma doença.

Outra associação possível é com as emoções: Rim – Medo; Fígado – Raiva; Coração – Alegria; Baço-pâncreas – Preocupação; Pulmão – Tristeza. E dessa forma, inúmeras outras relações podem ser feitas.

As correspondências de cores, por exemplo, têm sua origem na natureza: verde para a Madeira (árvores), vermelho para o Fogo, amarelo para a Terra (o solo da China onde estas correspondências tiveram origem é amarelo), o branco para o Metal (brilho da prata), o preto para a água (as profundezas do oceano).

A título de exemplificação, poderíamos analisar a expressão popular “fulano está verde de raiva”. Durante um processo de fúria, o indivíduo apresenta a “rigidez da Madeira”. Por sua vez, a madeira simboliza a cor verde, que na Medicina Chinesa corresponde ao órgão Fígado e ao sentimento de raiva.


Por: Dr. Norvan Martino Leite

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

A teoria dos cinco movimentos é um conceito do pensamento chinês na tentativa de compreender o mundo.

 

A Madeira, o Fogo, a Terra, o Metal e a Água são vistos como cinco propriedades inerentes a todas as coisas. Esses movimentos – da mesma forma que o Yin/Yang – devem ser compreendidos como processos ou tendências e não como qualidades ou defeitos.

Os movimentos fornecem determinadas correspondências, que estão relacionadas principalmente aos processos de mudança. Por exemplo, o movimento Madeira associa-se a funções de crescimento ou desenvolvimento.

O Fogo representa as funções que atingiram o seu estado máximo.

O Metal simboliza as funções que estão purificadas.

A Água representa aquelas funções que realmente atingiram sua maior purificação (essência) e que estão prontas a mudar em direção ao crescimento.

A Terra designa o equilíbrio ou a neutralidade.

Com o tempo essas cinco categorias genéricas foram utilizadas para classificar todos os fenômenos de cores, sons, odores, paladares, emoções, etc, ou seja, para todas as coisas presentes no Universo.

As correspondências foram, também, estabelecidas com os órgãos do corpo humano, fazendo-se a conexão dos Cinco Movimentos com a Medicina.

As representações são: Rim – Água; Fígado – Madeira; Coração – Fogo; Baço-pâncreas – Terra; Pulmão – Metal.
Essas energias estão relacionadas por dois princípios: o princípio de geração – a água nutre a madeira, que alimenta o fogo, que gera a cinza (Terra), que forma o metal – e o princípio de dominância – a água apaga o fogo, que derrete o metal, que corta a madeira, que suga a terra, que seca a água.

O equilíbrio na relação entre estes dois princípios resulta na saúde do indivíduo. O desequilíbrio resulta no processo de adoecimento capaz de gerar uma doença.

Outra associação possível é com as emoções: Rim – Medo; Fígado – Raiva; Coração – Alegria; Baço-pâncreas – Preocupação; Pulmão – Tristeza. E dessa forma, inúmeras outras relações podem ser feitas.

As correspondências de cores, por exemplo, têm sua origem na natureza: verde para a Madeira (árvores), vermelho para o Fogo, amarelo para a Terra (o solo da China onde estas correspondências tiveram origem é amarelo), o branco para o Metal (brilho da prata), o preto para a água (as profundezas do oceano).

A título de exemplificação, poderíamos analisar a expressão popular “fulano está verde de raiva”. Durante um processo de fúria, o indivíduo apresenta a “rigidez da Madeira”. Por sua vez, a madeira simboliza a cor verde, que na Medicina Chinesa corresponde ao órgão Fígado e ao sentimento de raiva.


Por: Dr. Norvan Martino Leite