Verdadeiros Amigos

Há muito tempo atrás, na China, havia dois amigos, um que tocava a harpa com habilidade e um que escutava com habilidade.
Quando um deles tocava ou cantava a respeito de uma montanha, o outro dizia: “Posso ver a montanha diante de nós.”
Quando um tocava a respeito da água, o que escutava exclamava: “Aqui está o riacho correndo!”
Mas o que escutava ficou doente e morreu. O primeiro amigo cortou as cordas de sua harpa e nunca mais tocou.
Desde aquela época o ato de cortar as cordas de uma harpa tem sempre sido um sinal de íntima amizade.

COMO VOCÊ ESTÁ
SE SENTINDO HOJE?


AGENDE UMA CONSULTA
(11) 3171-0900

Rua Artur Frazão, 66 - Jardins - São Paulo/SP

Há muito tempo atrás, na China, havia dois amigos, um que tocava a harpa com habilidade e um que escutava com habilidade.
Quando um deles tocava ou cantava a respeito de uma montanha, o outro dizia: “Posso ver a montanha diante de nós.”
Quando um tocava a respeito da água, o que escutava exclamava: “Aqui está o riacho correndo!”
Mas o que escutava ficou doente e morreu. O primeiro amigo cortou as cordas de sua harpa e nunca mais tocou.
Desde aquela época o ato de cortar as cordas de uma harpa tem sempre sido um sinal de íntima amizade.